Layouts no Flipboard

O Flipboard escolhe o melhor template para cada página de cada leitor, em tempo real. São mais de 2 mil layouts possíveis. Há uma árvore de decisão para escolher o melhor para aquele usuário, naquele dispositivo: Layout in Flipboard for Web and Windows — Flipboard Engineering.

Eyetracking do vídeo das Olimpíadas 2008

Abaixo, um estudo de Eyetracking do vídeo de abertura das Olimpíadas 2008. A simulação foi feita automaticamente por um computador, não por humanos. Mas o algoritmo aplicado leva em conta o padrão de movimento ocular humano, naturalmente. Dizem os criadores do sistema que os resultados da máquina estão bem próximos daquilo que seria o real. Com relação às cores, apontam que os usuários tendem a olhar primeiro para as áreas vermelhas e pretas, depois percebem os pontos amarelos e verdes. As áreas azuis chamam pouco a atenção. Cinza? Ninguém nem percebe. (DB)


Design humano, demasiado humano

O site webdesignerwall.com divulgou algumas tendências relativas ao campo do webdesign. Foram levados em conta estilos utilizados em páginas desenvolvidas em 2008.

Curiosamente, mas sem grande surpresa, o site anunciou que os designers têm buscado o “passado” e a “imperfeição humana” em seus projetos.

Exemplos? Sites com imagens “retro” e “vintage”, com elementos que lembram papel escrito a mão; ou sites totalmente no estilo Grungy: páginas com efeitos de tinta jogadas ou rasuras ou sujeita; alguns com figuras que lembram colagens feitas de papel, fontes manuscritas e afins. Veja alguns exemplos abaixo.

A tendência certamente não engloba o design de sites jornalísticos, que são, por natureza, bem mais “quadrados”.
(DB)






Para além do infográfico digital

O Kartoo já é mais conhecido, mas os outros exemplos abaixo são novidades, pelo menos para mim. Fui lá fuçar… São todas formas bem interessantes de buscar, apresentar e correlacionar informações online. Vejam lá: TouchGraph, Grokker e TheBrain.
(DB)

TouchGraph: ferramenta que descobre a relação dos conteúdos no Google, Amazon, Wikis, e outras fontes de pesquisa.

The Brain: software que ajuda o utilizador a mapear idéias, arquivos e págians web da maneira que julgar mais amigável.

Grokker: sistema de busca (web-based) que evidencia a relevância da informação.

Kartoo: metamotor de pesquisa de informação web que representa seus resultados na forma de mapas interativos.

O ciclo de vida de um post

Esta cena não lhe soa familiar? 🙂

Você tem um blog. Você escreve um post. Você clica em Publicar e dá uma olhada na tela para admirar seu trabalho. Imperceptivelmente, mas instantaneamente, o seu post desliza em uma vasta rede de softwares, no qual é rastreado, indexado, extraído, republicado e propagado por toda a web. Dentro de minutos, caso você tenha escrito sobre um tema oportuno e notável, um pequeno exército de robôs irá disseminar o seu post e (…) e você pode atingir um grande número de pessoas (…)” (tradução livre, veja original em inglês)

Agora dê uma olhada neste processo explicado na forma de infográfico. A elaboração é da Wired Magazine. Clique na imagem para vê-la em tamanho original e entender o ciclo de vida de um post.

 

Internautas lêem apenas 28% das palavras de um site

25 segundos é o tempo mínimo que um usuário utiliza para ler uma página web.

A partir daí, ele gasta em média mais uns 4 segundos para cada 100 palavras adicionais que lê numa página de Internet.

O internauta consome apenas 28% da informação escrita nesta página.

Em geral, o usuário não lê muito e dedica grande parte da navegação para “compreender a concepção de websites e recursos de navegação, bem como procurar imagens”.

Atenção para esta: o hiperlink ultrapassa todos os botões de navegação na web.

Ou seja, o usuário prefere links a botões.

Quando usa botões, clica em “Voltar”.

Apenas 16% dos utilizadores da Internet lêem palavra por palavra de um texto.

Você chegou até aqui? Então faz parte destes 16%. 🙂

Isso tudo segundo o novo estudo de Jakob Nielsen (foto) sobre usabilidade e rotinas de leitura na Internet.