Para que criamos estratégias digitais no jornalismo?

Para conseguir mais likes, shares e cliques (e ganhar rios de dinheiro). Certo? Não, não somente. Quem desenha estratégias digitais para o jornalismo deveria querer um pouquinho mais que isso. Como ter o compromisso de fazer circular pela rede conteúdos e serviços relevantes (e dignos) para a sociedade. Como diz  Carlos Chaparro, o jornalismo lida com a transformação da realidade — portanto, quaisquer estratégias de visibilidade deveriam considerar tal condição.

Para saber mais: Jonathan Colman explica aqui a diferença entre estratégia de conteúdo e estratégia de marketing (além de fornecer uma robusta bibliografia sobre o tema). Paul Bradshaw fala um pouco sobre como construir estratégias online para o jornalismo neste texto aqui. Também trato do assunto na minha tese doutoral, ressaltando que o desenho das estratégias de conteúdo precisa passar pelo bom entendimento de várias disciplinas, entre elas: experiência do usuário (UX), arquitetura de informação pervasiva (ubíqua), lógica computacional e consumo informativo em redes sociais.

ESPN Brasil inova na navegação

Está no ar o novo portal da ESPN. O site traz um conceito novo de navegação. Há uma caixa de busca gigante logo no topo da home. O convite é explícito: “digite aqui o que procura”, em letras generosas. O usuário digita tags. O sistema ajuda a completar a palavra. A cada tag (ou palavra-chave) digitada, surge um novo site.  Afora o topo diferente, o restante está meio confuso. Seja como for, vale a pena explorar para ter uma experiência menos tradicional de navegação em portais.
(DB)