Primeira reportagem multimídia na ECA-USP

Gostaria de compartilhar com vocês o lindo trabalho de conclusão de curso – TCC feito pela Gabriela Agustini, aluna do curso de Jornalismo da ECA, e que tive o prazer de orientar. Todos podem acessar no link http://www.entremurosdacolonia.com/ 

Trata-se de uma matéria sobre o último hospital-colônia de pacientes com hanseníase no Brasil, a Colônia Pirapitingui, na região de Campinas, SP.

Meu destaque vai para o fato de que na ECA-USP não existe  qualquer disciplina que dê espaço para a construção deste tipo de conteúdo, já que a atual disciplina Jornalismo Online tem uma abordagem totalmente tecnicista, ministrada por uma docente com formação de engenharia eletrônica…Acrecente-se o fato de que não existem recursos laboratoriais e equipamentos para apoio na construção de conteúdos multimídia.

Assim, o TCC de Gabriela foi fruto de um esforço coletivo, da criatividade e empreendedorismo da aluna, dos amigos que contribuiram com câmeras para captura de imagens adequadas para a web, diálogos, criação do sistema, roteiro, navegação, enfim, todo um processo que demonstrou claramente que não se faz hoje reportagem multimídia sozinho. Como orientadora, funcionei como apoio e caixa de diálogo.

Evidentemente, a reportagem não é uma obra acabada. Há necessidade de ajustes e os comentários da banca composta pelo  Francisco Madureira (UOL e ECA) e pelo Rodrigo Savazoni (Estadao.com.br) foram muito importantes e deverão desencadear uma nova etapa de trabalhos na reportagem.

Em breve publico artigo sobre esta rica experiência.

(Beth Saad)

Advertisements

14 thoughts on “Primeira reportagem multimídia na ECA-USP

  1. Beth, dei uma olhada e achei muito boa. Nós estamos já há algum tempo produzindo e coisas mutio legais. Que tal trocarmos umas figurinhas?

    Assim que colocar no ar te mando as produçòes dos meus alunos nesse semestre. bj

  2. Zeca, da mesma forma que para a Dani, penso que podemos formar nossa rede de experiências multimídia. Essa primeira da ECA foi muito rica em termos d pensar numa estrutura. Intermezzo está aberto a divulgação. Avise.
    Bjs, Beth

  3. Adorei o trabalho, muito sensível e com uma linguagem pioneira. Estão de parabéns pela coragem em experimentar num ambiente que não favorece esse tipo de trabalho.

    Espero que mais trabalhos assim comecem a despontar.

    Faço pós em jornalismo multimídia na PUC e sinto falta de iniciativas como esta.

    Grande bjo

  4. Parabéns, Beth! Ficou ótimo mesmo! Com o “andar do andor”, daqui a pouco já poderemos criar um portal de reportagens multimídia de alunos 🙂 Mas você falou uma coisa muito importante. Realmente esses belos trabalhos, assim com o “Ambulantes do Trem” que foi feito na Anhembi, são fruto de uma grande vontade dos próprios alunos, pois o sistema acadêmico praticamente desestimula os nossos futuros jornalista a seguir para o rumo digital. O resultado é presenciar sempre mais do mesmo ao fim de cada turma, salvo essas raras exceções.

  5. Taís, obrigada pelo incentivo. Realmente uma das percepções que tive no processo desta reportagem é que seu conteúdo e qualidade tem muito a ver com a sensibilidade do jornalista-autor-criador. Parece que surge uma nova figura profissional, paralela ou concomitante ao jornalista “de redação”.
    Algo ainda a explorar.
    Bjs prá ti também.

  6. André, penso que o processo de reportagens multimídia na academia vai surgir mesmo “da base”, forçando o currículo tradicional e as cabeças travadas e entaladas na visão de duas dimensões do papel….
    Cabe a nós incentivar, registrar de forma acadêmica, publicar nos foros adequados, e disseminar por aí.
    Fica uma sensação de murro em ponta de faca, mas é uma etapa…ara os netos….
    Beijos.

  7. Puxa, muito legal a reportagem. Ela soube usar as mídias na medida certa e as linguagens se encontram sem problema algum. É muito bom ver que outros estudantes de jornalismo vem fazendo algo nesse viés, já que muitas vezes somos desencorajados a utilizar todas as possibilidades de que temos disposição e ficamos no tradicionalismo — nesse caso, enfadonho. Vocês duas souberam aplicar os conceitos que aprendemos todos os dias em aula de uma maneira extra-classe! Espero poder explorar os campos da intertextualidade no meu TCC e no que mais vier a fazer como jornalista. Parabéns!

  8. beth, eu tiro o chapeu para esse trabalho, por conta do tema tratado, da abordagem realizada e de seu desenvolvimento, enfrentando tudo o q vc aqui relatou. fico com certa esperança de possamos mesmo fazer com q o curriculo tradicional seja revisto, pois tenho noticias de iniciativas como essa acontecendo em algumas universidades brasileiras, a despeito de todos os entraves imagináveis. um grande abraço para vc.

  9. Felipe, obrigada por seus comentários. Realmente seria muito bom que as estruturas curriculares e quem conduz os cursos pensassem mais seriamente no assunto multimídia.
    abraços, beth

  10. Caro Jorge, o trabalho é mesmo muito gratificante, especialmente quando vemos o entusiamos dos alunos envolvidos num proceso criativo que só a multimídia tem condições de oferecer.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s