A culpa é dos blogs?

Reproduzo abaixo um bom trecho do “Toda Mídia” desta quinta-feira, a já conhecida coluna de Nelson de Sá na Folha de S. Paulo. (Os negritos são meus).

Desta vez foram blogs, não TVs, que correram para adiantar o resultado e criaram, segundo um blogueiro que não entrou na briga pela boca-de-urna, a “presidência de sete horas” de John Kerry.

Mas quem buscasse retratação dos blogs ontem, sobretudo dos “liberais”, não encontraria.

Era possível achar recriminação dos blogs pelas TVs, sites de jornais e pela agência Associated Press. Mas os blogueiros prosseguiam na ofensiva, à esquerda e à direita, sem piscar.

O pró-republicano Glenn Reynolds, em seu Instapundit e no “Guardian”, saudou menos a vitória de George W. Bush do que a dos blogs, na eleição.

Para ele, foi “graças à internet, aos canais a cabo e aos radialistas que a inclinação da mídia [pró-Kerry] ficou mais fácil de identificar e mais fácil, para os cidadãos, de superar”. Foi o que evitou, diz ele, o estabelecimento de “falso consenso”.

De sua parte, o pró-democrata Markos Moulitsas, do Daily Kos, não diferiu muito na avaliação do que levou à reeleição:

– Nós [“liberais”] tivemos uma explosão no mundo dos blogs e iniciamos uma rede de rádio, mas a nossa máquina foi vencida de longe pela máquina de barulho da direita (Fox News, Drudge, radialistas etc.).

Mas e a boca-de-urna? Quase sem exceção, nos principais blogs, sobraram ironia e ataques ao “pool” de pesquisa formado pelas redes, os principais jornais e a agência AP, que levantou os números vazados.

Mickey Kaus, do Kausfiles, recorreu a um palavrão para dizer que o “pool” se perdeu.

Do outro lado, “Washington Post”, com Howard Kurtz, e “New York Times”, em seu blog eleitoral, recriminaram levemente os blogs. O “Wall Street Journal” ironizou:

– O festejado novo meio se provou tão vulnerável a gafes quanto a mídia “mainstream”.

Mas o mesmo “WSJ” disse que os blogs derrubaram Wall Street “quase imediatamente” e que “a atenção dada a eles sublinha sua importância crescente nos mundos da política e da mídia”. A colunista de web do “WP acresceu, exagerando:

– Num histórico dia de eleição, os blogueiros fizeram tremer a mídia “mainstream”.

Atenta às críticas ao “pool”, a AP soltou despacho ontem à noite passando a responsabilidade adiante, aos blogs e às próprias redes de TV.

Sobre os primeiros, disse que “organizações de notícias responsabilizaram os blogueiros por espalhar notícias que deram uma visão equivocada”.

No texto, pesquisadores contratados pelo “pool” reclamaram que os números vazados eram da manhã e que, à tarde, eles se aproximaram.

Sobre as redes, o despacho foi ainda mais incisivo, citando horários em que ABC, NBC e Fox News comentaram as pesquisas de boca-de-urna no ar, contra o conselho da agência.

O problema da AP é que a Fox News já veio a público atacar o “pool” -de que a própria emissora faz parte. E assim o despacho se revela sobretudo um esforço de defesa da agência.

Kathleen Carrol, editora-executiva da AP, apareceu no próprio despacho e prometeu:

– Nós vamos examinar nos próximos dias como os instrumentos funcionaram, com nossos especialistas e nossos colegas do “pool”. E esperamos poder responder a qualquer preocupação quanto ao processo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s